quinta-feira, 25 de junho de 2015

Te amar é como uma doença que me necrosa de dentro para mais fundo ainda.
Adeus.
Ah, Deus.
acolha-me melhor que este mundo por favor, pois daqui não me sinto mais.

Sentimento sem título

Depois de três anos a aliança resolveu não caber mais e se perdeu em meio à vida bifurcada dos dois. O gosto e aroma do café não traziam mais satisfação, já que vinham acompanhados de lembranças que não deveriam voltar a brotar. Os olhos, os maiores denunciadores da tristeza e amargura; esses sempre bem evidentes. Fotos impossíveis de serem apagadas, cheiros que nunca mais serão esquecidos. Cada dia se tornando mais uma pedra colada às costas, e que leva até depois do chão. A necessidade de cegar olhos com o choro é imensa, e a de sangrar os dedos e pulsos já grita. Tudo é mais forte, enquanto você se torna nada mais nada menos que... nada.
A crise existencial de não existir em sua vida, já me tornou delirante.
Eu só voltei para dizer adeus, pois você disse para voltar quando estivesse melhor. E eu sei que nunca estarei melhor. É uma verdade absoluta, é a minha mente lutando contra a vida. Nós não pertencemos a ninguém e eu não consigo conviver com isso, saber que tenho que te deixar ser livre. Eu sei que é egoísmo meu, mas todas as vezes que fiz o certo você se aconchegou no toque de outra pessoa, enquanto eu me culpava achando que estava te fazendo sofrer - quando eu é que estava sofrendo.
Você me mutila mentalmente e no final diz que está tudo bem.
Eu quero minha vida de volta apesar de sempre querer voltar para a vida que eu tinha ao seu lado.
Não é a rotina turbulenta, a ausência, a falta de palavras. É a permissão de ser feliz sem mim em nenhum momento. Porque os nossos momentos, esses são passageiros, e você sempre consegue superá-los procurando quem você procura.
Não é egoísmo. Não. É só... cansaço.
Nem mesmo consigo te dizer adeus, apesar de sentir que preciso fazê-lo urgentemente.
É egoísmo meu, sofrer mas querer continuar sofrendo ao seu lado?
Estou aqui, tenho tanta coisa para fazer, e estou escrevendo sobre você.
Isso me torna egoísta?
Pare de negligenciar meu amor e dizer que 'está tudo bem'.
Esto te dizendo adeus, mas quero que você me procure, pois seria egoísmo meu te procurar.

domingo, 19 de abril de 2015

Eu quero gritar o meu amor
Pichar nos muros da cidade,
Nos portões da Mocidade

Declarar que o que eu sinto
É tão lindo, eu não hesito
Suas vontades passeiam por minhas veias

Você me emboscou no
Carinho das suas teias

ps:. brega e interminável.

Textos sujeitos a qualquer tipo de alterações: tão efêmeros quanto meus sentimentos.