quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Tua calmaria feito furacão
Teu desejo feito paixão
Era céu, era chão
Tudo, mas ela, não.

Tuas incertezas a engoliam
De dentro para fora, te corroíam
Tratava seus sentimentos com egoísmo

Mas ela sempre será um arranha-céu
Disfarçado de abismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário